[Fechar]
Sindicato APEOC - Camocim
Sindicato APEOC - Camocim

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Estado: Consignado está apto, só depende do TJ, diz Seplag

Reunião entre membros do governo, Caixa e Bradesco definiu que novo sistema está pronto para ser aplicado

Eduardo Diogo afirma que o novo sistema para empréstimos consignados dos servidores está pronto para começar a ser utilizado, no dia 17.

O titular da Secretaria do Planejamento e Gestão do Ceará (Seplag), Eduardo Diogo, confirmou, ontem, após reunião com superintendentes da Caixa Econômica e do Bradesco, que o novo sistema para empréstimos consignados dos servidores está apto para começar a ser utilizado, no dia 17.

O próximo passo para que isso de fato aconteça, segundo ele, já foi dado. "A Procuradoria Geral do Estado (PGE) peticionará nos autos do processo que a condição suspensiva do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) fica completamente atendida", afirmou, observando que o governo do Estado respeitou a decisão da Justiça de só permitir a operação dos empréstimos consignados quando o Executivo estadual oferecesse condições plenas para normalizar as contratações.

"Cumprimos a pendência que a desembargadora nos imputou. Agora, vamos comunicar que estamos absolutamente aptos", explicou o secretário.

De acordo com Eduardo Diogo, todos os detalhes ficaram acertados no encontro com as duas instituições financeiras credenciadas para realizarem os empréstimos em folha. "Nesta semana, haverá o treinamento dos multiplicadores desses bancos. Ambos são de referência e conhecidos parceiros. O Bradesco é detentor da folha de pagamento, e a Caixa, da conta única do Estado", considerou.

Inovações
O secretário também destacou as principais mudanças e vantagens trazidas com a implantação do novo sistema. Segundo ele, a maior queixa exposta em encontro com representantes do sindicato dos servidores, em abril deste ano, é falta de transparência nas informações.

"Com o novo sistema haverá total transparência. O servidor poderá acessar na plataforma web de qualquer lugar e a qualquer hora. Além disso, ele poderá comparar as taxas de juros dos dois bancos e escolher qual a melhor. Sem falar, que a qualquer momento, o servidor poderá trocar de plano, quando achar conveniente", frisou Diogo.

Ele destacou que está atendendo ao que ficou pactuado no encontro com os representantes. "Todos os contratos só serão firmados com o servidor presente na agência bancária e ele terá acesso ao contrato a qualquer momento", contou.

Outra vantagem salientada por Eduardo Diogo é a opção dada, pela primeira vez, aos servidores de terem seus extratos de rendimentos disponíveis pelo meio virtual. "Ele terá a opção de não querer mais o extrato impresso. Isso dará versatilidade para ele acessar o contra-cheque em qualquer lugar e hora. Com economia e compromisso ambiental", reforçou antes de falar como a secretaria pretende fiscalizar as instituições financeiras.

´De olho´
Segundo a Seplag, o órgão vai monitorar ambas as instituições financeiras credenciadas já no novo modelo de contratação de empréstimo consignado para que haja uma livre concorrência entre elas e que o servidor não saia prejudicado.

"Vamos acompanhar pari-passo a oferta de serviços e a taxa de juros dos bancos. Tenho certeza de que não haverá problemas como antes. Mesmo assim, vamos ficar de olho, evidentemente", disse, sem citar a empresa anterior que fazia as operações de crédito consignado, a Administradora Brasileira de Cartões S/A (ABC).

Muitos trabalhadores vinculados ao Executivo denunciaram que as taxas de juros praticadas pela ABC estavam bem acima das condições de pagamentos dos servidores. Conforme a Associação dos Servidores da Secretaria de Educação do Ceará (Asseec), por exemplo, cerca de 90% dos 12 mil servidores associados endividaram-se no período da ABC.

Educar e renegociar
Eduardo Diogo informou que, como parte do cronograma de implantação do sistema, já foi realizada a etapa de orientações sobre educação financeira, com distribuição de cartilhas.
Conforme Eduardo Diogo, todos os servidores que quitarem suas dívidas poderão aderir ao novo modelo. Contudo, não explicou como está sendo feita essa renegociação de dívidas de consignados anteriores à adoção ao novo sistema, que ainda entrará em vigor.
"Essa plataforma dá mais celeridade e velocidade ao servidor. Ele poderá quitar e fazer um novo empréstimo com condições mais favoráveis", disse.

Diário do Nordeste (13.09.2012)

Nenhum comentário :

Postar um comentário